África é solo fértil para o Evangelho…

“Hoje, a África é possivelmente o terreno mais fértil para o Evangelho e, portanto, para a plantação de igrejas”, de acordo com os pesquisadores em plantação de igrejas, Ngwiza Mnkandla (Zimbábue), Kuraj Chitima (Botsuana) e Danie Vermeulen (África do Sul) durante uma conferência estratégica do Movimento Alvorada, em Colorado Springs, Estados Unidos. 

 

Em 1900, havia cerca de 1,6 milhão de cristãos evangélicos na África – cerca de 1,5% da população. Hoje, o número cresceu para algo em torno de 116 milhões, ou 14,8% da população. 

 

 

Danie Vermeulen pastoreou igrejas tradicionais durante anos, tentando vários métodos para ganhar mais discípulos e aumentar o número de membros da igreja local. “Descobri que plantar novas igrejas é o método mais eficiente para fazer discípulos”, diz ele. Sua igreja plantou outras 38, com um total de 6.000 membros. Na África hoje, novas igrejas e redes de igrejas estão desabrochando por toda a parte. 

 

 

“A igreja da África é como um rio raso: um quilômetro de largura, mas somente três centímetros de profundidade”, uma citação atribuída ao teólogo inglês John Stott, não é mais verdade, de acordo com líderes africanos. “A paixão e a espiritualidade da África são impressionantes, e depende de como você define profundidade”, diz Ngwiza Mnkandla. 

 

 

“No momento em que copiamos os modelos ocidentais de igreja e liderança, nós nos perdemos. Quando nós aceitamos nossa herança de Deus com dignidade, a profundidade aumenta, e vemos todos os tipos de descobertas”. Os líderes cristãos, como Dion Roberts de Abidjã, dirige igrejas com uma freqüência de 200.000 pessoas. 

 

 

A Igreja Farol, de Nairóbi, fundada por Don Matheny, treinou seus membros tão bem que literalmente qualquer um é capaz de levar pessoas interessadas no cristianismo a Jesus. No mesmo dia, pastores visitam os novos crentes, com freqüência levando a família toda a Jesus e iniciando uma célula doméstica. A igreja tem um freqüência de cerca de 6.000 pessoas.  

 

 

Vermeulen estima que o crescimento potencial das igrejas cristãs será maior nos próximos dez anos do que no passado, pelas seguintes razões: 

 

 

O crescimento nos anos recentes ocorreu quase que completamente sem um componente estratégico, e foi com freqüência o resultado de grandes campanhas evangelísticas. O resultado de incluir um componente estratégico pode ser visto no Zimbábue, onde as igrejas cooperam num projeto nacional para plantar 10.000 novas comunidades.  

 

O progresso tecnológico torna mais fácil alcançar áreas anteriormente distantes.  

 

A igreja africana está ganhando rapidamente uma visão missionária, financiando e enviando um número cada vez maior de missionários.  

 

 

Continua crescendo a abertura para o Evangelho. A pobreza leva à crise pessoal que faz com que as pessoas busquem a Deus, mas a principal força é a Aids, que se tornou o problema número 1 da África  71% das pessoas infectadas com o vírus HIV vivem na África. Os governos não têm respostas, e as pessoas que enfrentam a morte estão se voltando para Deus. O islamismo e as religiões animistas são obviamente incapazes de ajudar, por isso pastores estão cada vez mais fazendo dos funerais campanhas evangelísticas, chamando as pessoas para Cristo.  

 

 

“Vi recentemente 2.000 muçulmanos decidirem seguir a Jesus”, diz Vermeulen. “Chegamos a um vilarejo muçulmano para mostrar o filme JESUS. Não havia uma só família cristã no vilarejo. A nossa tela para a projeção era pequena demais, e a maior parede branca da cidade era a da mesquita. Pedimos ao Imã (clérico muçulmano) e ele nos deu permissão para exibir o filme lá. Naquela noite, centenas de pessoas viram o filme, e o Imã foi o primeiro a responder ao apelo para seguir Jesus. Em seguida, muitos foram libertos durante a oração por libertação dos poderes demoníacos, que a maioria dos moradores decidiu seguir o exemplo do Imã. Em cinco dias, 2.000 muçulmanos tornaram-se cristãos e cinco igrejas foram plantadas para ajudar as pessoas em sua nova fé”. 

 

 

Danie Vermeulen, anteriormente pastor na África do Sul e agora conselheiro de estratégia para os movimentos de plantação de igrejas, fala de um plantador de igrejas no Malaui que plantou 30 igrejas entre os Yao, uma tribo predominantemente muçulmana, nos últimos 30 anos. A maioria das igrejas foi o resultado de encontros poderosos de poder como cura ou libertação de poderes demoníacos. 

 

 

Vermeulen sentou-se junto ao plantador de igrejas num seminário na África do Sul, durante o qual o preletor enfatizou a importância do bom treinamento missiológico e teológico para a plantação de igrejas, alegando que “é impossível plantar igrejas entre os muçulmanos sem compreender semântica!” O plantador de igrejas inclinou-se para Danie, perguntando: “O que é semântica?” Resposta de Danie: “Um pequeno demônio”. “É com isso que a palavra se parece”, o plantador de igreja replicou aliviado. 

 

Fonte: DAWN Africa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: