A Igreja Perseguida na Nigéria ….

A Nigéria localiza-se no oeste da África, às margens do Golfo da Guiné, entre Benin e Camarões. A topografia do país caracteriza-se pela predominância de terras baixas e planaltos. A região central possui terras mais altas e algumas colinas, enquanto a região sudeste apresenta um relevo montanhoso, a região norte do país possui predominantemente áreas planas.
A Nigéria é um dos países mais populosos da África. Sua população apresenta um alto crescimento demográfico e 42% dos nigerianos possuem menos de 15 anos de idade. São faladas 521 línguas na Nigéria; o inglês é usado como idioma oficial, uma língua com a qual os diversos grupos étnicos podem se comunicar entre si.


Buscando dominar o comércio e a coleta de impostos ao longo do Rio Níger, a Grã-Bretanha obteve o controle da área que hoje corresponde ao território nigeriano durante o fim do século XIX e o início do século XX. A Nigéria, então, uma colônia britânica, foi criada em 1914 e já nasceu dividida em três regiões distintas: o norte, predominantemente muçulmano e habitado pelos hauçás e fulanis; o sudoeste, lar da etnia ioruba; e a região sudeste, onde vivem os ibos.
Embora um movimento nacionalista liderado por importantes políticos já tivesse exigido autonomia para a Nigéria dentro da Comunidade Britânica em 1930, foi só em 1960 que o país finalmente obteve sua independência.
 
A Nigéria continua experimentando a tensão étnica e religiosa existente há muito tempo. Embora as últimas eleições presidenciais (em 2003 e 2007) tenham sido marcadas pela irregularidade e pela violência, o país experimenta atualmente o mais longo período de paz desde a independência.

A rica economia do petróleo continua sendo prejudicada pela instabilidade política, pela má condução das políticas macroeconômicas e pela corrupção. Infelizmente, a Nigéria tem falhado em promover avanços no que se refere à diversificação da economia com o objetivo de livrar-se da grande dependência do capital petroleiro.

A corrupção impede que os lucros econômicos sejam repassados à população. Assim, 70% da população vive abaixo da linha de pobreza.

 


O islã chegou ao Norte da Nigéria no século XIX, a princípio pelo comércio das caravanas, mas, posteriormente, pela guerra. A cultura islâmica foi estabelecida de tal modo que pareceu ter sempre existido ali.

Quando o cristianismo chegou, no século seguinte, o islamismo já estava bem estabelecido, com governos islâmicos organizados. O cristianismo foi visto como uma grande ameaça, e deveria ser combatido. Isso resultou na perseguição à Igreja.

A Igreja tem crescido em diversas denominações: anglicana, batista e grupos pentecostais. Os líderes cristãos no norte do país sofrem grande pressão econômica e política.

A Perseguição

Constitucionalmente, a Nigéria é um Estado laico com liberdade religiosa. Durante quase 40 anos, o governo no norte deu o tratamento preferencial a muçulmanos e discriminou os cristãos. Pouco foi feito para pôr um fim a perseguição e, como resultado, muitas igrejas foram queimadas e cristãos foram mortos.

Embora exista liberdade para evangelizar, há uma forte oposição dos muçulmanos contra aqueles cristãos que procuram praticar este ministério. A oposição islâmica já foi responsável pela morte de muitos mártires, especialmente na região norte do país. Apenas entre 1982 e 1996, ocorreram mais de 18 conflitos de grande escala entre cristãos e muçulmanos no norte da Nigéria. Tais conflitos deixaram um saldo de mais de 600 cristãos mortos e cerca de 200 igrejas incendiadas.

 


Os Estados não têm permissão para escolher uma religião. Entretanto, desde 1999, a lei islâmica, sharia, foi adotada em 12 Estados do norte. Alguns políticos do norte esperam que a introdução da sharia atraia uma significativa quantidade de grandes investidores de países árabes.

Apesar da garantia de que essa controvertida lei será aplicada somente aos muçulmanos, os cristãos nigerianos e os ex-muçulmanos temem discriminação sob o regime legal.
 
Sabe-se que as garotas cristãs dos Estados islâmicos do norte são forçadas a usar o hijab, traje muçulmano feminino, quando freqüentam uma escola pública. Apesar de as escolas mantidas pelo governo serem obrigadas a ensinar tanto a educação religiosa cristã como muçulmana, as autoridades de muitas partes do norte impedem o ensino do cristianismo.

Em 2006, um tribunal no Estado de Katsina, norte da Nigéria, sentenciou o pastor Gambo Boka a três anos de prisão por supostamente seqüestrar a jovem Lois Garba, uma cristã que foi obrigada por seu pai a se casar com um parente muçulmano. Lois cresceu em uma família cristã, mas seu pai, Mallam Abdumalik, vinha de uma família muçulmana, por isso, seus parentes sempre o oprimiram. Para apaziguar a família, ele deu sua filha, Lois, em casamento a um parente muçulmano.

Lois e suas irmãs não queriam que ela se casasse com um muçulmano. Mallam, entretanto, continuou com os preparativos e marcou o casamento para 20 de fevereiro de 2006. Inicialmente, Lois achou que fosse alguma brincadeira, mas à medida que o dia da cerimônia se aproximava, ela percebia como o assunto era sério, e assim, fugiu.

O apelo foi feito à suprema corte dentro do prazo de 30 dias da prisão do pastor. No dia 10 de abril de 2006, a suprema corte anulou o julgamento da corte local de Malumfashi que tinha sentenciado o pastor. O juiz absolveu o pastor Gambo, uma vez que os outros acusadores não conseguiram apresentar provas concretas. O juiz acrescentou que uma mulher tem o direito de escolher com quem quer se casar.
 

Motivos de Oração

2. A Igreja ainda não conseguiu impactar significativamente os grandes grupos étnicos, como os hauçás e os fulanis. Ore para que evangelistas cristãos dediquem suas vidas a divulgar o evangelho e utilizem métodos novos e eficazes para alcançar esses grupos, que hoje correspondem a populações demograficamente importantes da África.

 

 
4. A Igreja tem potencial para se tornar uma base de envio de missionários estrategicamente importante. A economia e a grande população nigeriana fazem do país um importante centro de envio de missionários para o resto do continente africano. Os cristãos nigerianos atuam como evangelistas em toda a África, particularmente ao norte do continente. Ore para que as igrejas nigerianas continuem a investir no envio de missionários para todos os países africanos.

5. A Igreja conta com algum interesse do exterior, mas não tanto quanto precisa receber. Ore para que os cristãos de todo o mundo encontrem formas novas e eficazes de cooperar com a Igreja nigeriana a fim de ver o país, o continente e todo o mundo permeado com o evangelho de Cristo.
 

Fontes

– CIA Factbook 2008 (
https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/)
– Ethnologue (
http://www.ethnologue.com/show_country.asp)
– Open Doors International

– Países@ (
http://www.ibge.gov.br/paisesat/main.php)


3. Missionários na região norte sofrem com a constante perseguição. É extremamente perigoso evangelizar no norte da Nigéria e muitos cristãos têm sido assassinados, pois a região é dominada pelo islamismo. Ore a Deus pedindo ousadia e coragem aos missionários que trabalham na região e interceda também por sua segurança pessoal.

1. A Igreja nigeriana tem avançado rapidamente. Ore para que o norte do país seja penetrado pelas novas iniciativas evangelísticas.

 


Os líderes distritais da igreja e o pastor Gambo deixaram a corte com o coração alegre, louvando a Deus pela divina intervenção. A esposa do pastor, Rakiya, e seus três filhos não conseguiram conter as lágrimas de emoção quando ele chegou. A casa se encheu de canções de louvor e os que assistiam foram fortalecidos em sua fé.

Furiosos com a fuga, Mallam e o “marido” de Lois acusaram o pastor Gambo Boka e sua esposa Rakiya Gambo, cunhado e irmã de Lois, de realizarem o sequestroo da jovem, na companhia de outros cristãos. O policial da divisão regional, que também é muçulmano, prendeu os seis acusados na delegacia local.

Uma multidão de muçulmanos de reuniu do lado de fora do tribunal no dia do julgamento do pastor Gambo. Ele foi condenado a três anos de prisão. “Deus tem um propósito em tudo o que faz. Eu estou tranqüilo”, disse o pastor enquanto era escoltado para a prisão, depois do julgamento.
A Portas Abertas visitou o pastor Gambo durante sua segunda semana na prisão. Ele havia emagrecido, mas a felicidade se estampou em seu rosto quando, de longe, ele avistou o obreiro da Portas Abertas. “Estou feliz em ver você. Obrigado por tudo o que você sofreu para vir me visitar na prisão. Agora eu me sinto bem nesse lugar horrível. É bom saber que as promessas de Deus são reais”, disse o pastor Gambo ao cumprimentá-lo.

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: