Idiomas de Moçambique – Línguas bantú …

No caso de Moçambique, a diversidade lingüística é uma de suas principais características culturas. Mesmo que o idioma português seja o idioma oficial do país, existe uma enorme diversidade de idiomas que, para a maioria da população, constituem a língua materna e a mais utilizada na comunicação diária.

NOTA IMPORTANTE: Tal trabalho foi produzido por Marco Antonio Barticevic Sapunar, Chileno, 48 anos, atualmente trabalhando em World Vision International (Visão Mundial Intenacional), Maputo, Moçambique.
E-mail: marco_sapunar@wvi.org
O Original está em Espanhol e pode ser encontrado em:

http://www.monografias.com/trabajos6/idmo/idmo.shtml?relacionados

 

Todos os direitos reservados ao Autor.

Tradução: Robinson J. de Souza - Comunicação MIAF BRASIL.

 

1. Línguas bantú

Existem várias formas de classificar os países: por continentes, pelo seu grau de desenvolvimento econômico, segundo os índices de mortalidade ou analfabetismo, de acordo à religião predominante de seus habitantes e também pelo seu idioma oficial.

No caso de Moçambique, esta última classificação o situa no grupo de países de fala portuguesa, junto de outros quatro africanos, o Brasil e naturalmente Portugal (e ultimamente Timor Lorosai). A origem disso: até 1975 este país era colônia portuguesa.

Até aqui chegam os conhecimentos gerais do homem comum sobre o idioma deste país africano. Inclusive para as pessoas com uma formação superior são desconhecidos os nomes dos idiomas falados pelos habitantes oriundos de Moçambique: seus idiomas maternos. 

Pois, como se detalhará mais para frente, não trata-se de um só idioma nativo, mas de vários idiomas falados pelos 16 milhões de moçambicanos espalhados nos 799.380 quilômetros quadrados de território nacional.

 

A característica geral de todos estes idiomas é sua pertinência ao grupo de línguas bantú. O filólogo alemão Wilhelm H. I. Bleck utilizou pela primeira vez esta palavra a partir de 1862, para designar ao conjunto de línguas da mesma família, com características comuns, faladas majoritariamente na África Subequatorial, ao sul da divisa que vai dos Montes do Camarões (África Ocidental) até a desembocadura do rio Tana (a África Oriental).


A partir do método histórico-comparativo, Malcom Guthrie formulou a hipótese que estas línguas teriam uma origem comum. Chamou protobantú ao idioma mãe que teria dado origem aos outros. O protobantu se teria falado na região dos Grandes Lagos, desde onde os bantú se dispersaram em direção ao sul do continente.

 

Segundo este autor, “ba” em protobantú seria o morfema do plural próprio da classe à qual pertence o nome “ntu”, que significa pessoa. Assim, Guthrie chamou línguas bantú a estas línguas com características comuns e que têm mais ou menos a mesma palavra para designar “pessoa”, isto é, traduzido literalmente, (línguas) “de pessoas”.

A diversidade de povos e idiomas é válida para vários países africanos. Assim, José Quipungo assinala que em Angola existem 10 povos ou regiões lingüísticas diferentes, pertencentes à família de línguas bantú, por sua vez divididos em 90 grupos: Bakongo (14 grupos etnolinguísticos), Ambundo-Kimbundo (14 grupos), Lunda-Tchokwe não Muatianvua (6), Ovimbundu-Umbundu (14), Ngangela-Tchingangela (12), Nyanyeka-Olunyanyeka (11), Ambo-Tchiwanyama (5), Helelo-Tchielelo (6), Xindonga (5), Naluba-Tchiluba (3). A isto se deve acrescentar a existência de três povos não bantú: os Ovakwvisi, os Ovakwepe e os Kung (bosquimanos angolanos).

 

Para uma melhor compreensão do Quadro 1, no Mapa 1 (Vistos no outro artigo) aparece a divisão administrativa do país em 10 províncias.

Estes números podem se comparar com os de alguns países europeus que em 1998 tinham a seguinte população, em números arredondados:

 

” a Islândia, – 300.000;

” Luxemburgo e a Malta, – 400.000;

” a Estônia, – um milhão;

” a Letônia e a Macedônia – dois milhões;

” a Albânia, – três milhões;

” a Irlanda, a Lituânia, Moldávia, norueguesa, a Eslováquia,

- quatro milhões

É assim como recorri à Bíblia, livro que através das sociedades bíblicas e de instituições religiosas foi traduzido a maioria dos idiomas do mundo. Escolhi os primeiros quatro versículos do Evangelho segundo São Lucas, que a continuação transcrevo em espanhol (Com tradução para o Português – MIAF) e em 14 versões de idiomas falados em Moçambique.

1.Castelhano (Tradução para o Português)

A Santa Bíblia – O Santo Evangelho segundo São Lucas -

Dedicatória a Teófilo

Sendo que muitos já trataram de colocar em ordem a história das coisas que entre nós foram realizadas, tal como nos ensinaram os que desde o princípio o viram com seus olhos, e foram ministros da palavra, me pareceu também a mim, depois de ter investigado com diligência todas as coisas que desde sua origem, escrevê-las por ordem, oh excelentíssimo Teófilo, para que você conheça bem a verdade das coisas nas quais você foi instruído.

Com a intenção de demonstrar que, mesmo que todos estes idiomas pertencem à mesma família de línguas bantú, existem notórias diferenças entre eles e que em nenhum caso trata-se de dialetos de um mesmo idioma, busquei um texto que tivesse tradução a alguns destes idiomas, de maneira que inclusive a pessoa não entendida em assuntos lingüísticos pudesse apreciar as diferenças.

About these ads

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: